Você Sabia?

O que é rodagem e treino regenerativo?

rodagem
Foto: Freepik

Rodagem nada mais é que uma corrida em ritmo fraco e de curta duração e o treino regenerativo, embora tenha também o objetivo de relaxar e acelerar a recuperação, envolve outras atividades, como nadar, pedalar ou mesmo caminhar, também de forma leve.

Mas afinal, correr em um ritmo sempre confortável serve para alguma coisa? Bem, se o objetivo for apenas movimentar o corpo, criar uma rotina mais saudável e fazer o organismo trabalhar de forma mais acelerada para uma melhora na saúde geral, qualquer exercício é válido. Participar de provas também sem focar em tempo e colocação, é algo feito até por muitos atletas seja apenas pelo social ou para se divertir ao longo do ano entre os treinos e provas mais sérias.

Entretanto, se você pretende melhorar o desempenho, em primeiro lugar deve sempre ter um bom profissional da área para te assessorar, porque é necessário seguir uma planilha de treino com diversos tipos de estímulos, que vão de variar a intensidade (treinos intervalados) a ter uma quilometragem certa a cumprir em cada sessão diária e da semana. 

Para entender melhor, encontramos dicas de como fazer esse tipo de treino equilibrado. Para começar, o chamado microciclo (treino da semana) será composto de um longo, um ou dois momentos de alta intensidade (como intervalados) e um ou dois trotes mais fracos, que são as corridas de rodagem.

A rodagem é uma sessão lenta e contínua que alguns corredores fazem com o objetivo de completar o volume de quilometragem semanal, mas a principal vantagem, de acordo com atletas profissionais, é a de relaxar a musculatura depois de um treino mais intenso ou de uma competição. Inclusive, é sempre recomendado fazer um treino de baixa intensidade antes e após exercícios mais pesados.

Estudos tem mostrado que corridas leves podem dissipar o lixo metabólico gerado nos trabalhos intervalados, diminuindo inclusive a dor muscular tardia muito comum nas 24 a 72 horas após treinos fortes. Ou seja, aceleram a recuperação. Estudiosos concluíram que o tempo de remoção da creatinaquinase e do lactato, que são os produtos metabólicos gerados pela corrida de alta intensidade, pode ser reduzido em 1/3 quando se realiza a rodagem, se comparado com o simples repouso. Ao mesmo tempo em que esses produtos podem ser utilizados pelo corpo como energia, sua permanência pode indicar presença de microlesões, dificultando o treino seguinte.

Não exagere! Uma corrida de rodagem também não deve ser longa para não espoliar ainda mais a musculatura já sofrida no treino anterior. Ela deve se resumir a 50% ou mesmo 60% do tempo normalmente usado na corrida.

Alguns pode achar muito pouco, mas nesse caso, pode-se sempre trocar essa técnica por um descanso, por exemplo. Mas saiba que os resultados no próximo treino de alta intensidade não serão os mesmos.

Vale reforçar que essa sessão de corrida leve no dia seguinte ao treino mais forte, não é a mesma coisa que treino regenerativo. Rodagem é uma corrida em ritmo fraco e de curta duração. Não deve ser prolongado, porque pode acabar contribuindo para uma lesão.

O regenerativo, embora tenha também o mesmo objetivo de relaxar e acelerar a recuperação, na verdade é a técnica onde se aproveita de outra atividade com ação mecânica diferente da corrida (natação, bike, yoga). Busque sempre mais conhecimento e corra em direção ao caminho certo para o seu corpo, seu momento e seus objetivos.

Fonte: Revista Contra-Relógio

Curtiu? Então leia aqui também sobre o método Run Walk e como ele ajuda na sua performance.

Sobre o Autor

Equipe Brasil Run

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar o post

Newsletter

Publicidade