Comer Bem

Glúten é realmente um vilão para quem corre?

Seguir uma dieta sem glúten significa deixar de lado alimentos que geralmente são muito bons para corredores, como macarrão e pães. Mas para alguns atletas, uma dieta sem glúten é uma questão de necessidade médica. Outros adotam para melhorar o desempenho, perder peso ou combater a inflamação que interfere na recuperação.

Especialistas em nutrição esportiva dizem que otimizar a nutrição nem sempre significa evitar o glúten, uma proteína do trigo, do centeio e da cevada – e isso pode ter um custo. Veja o que os corredores precisam saber sobre não consumir glúten.

Uma dieta restrita a esse alimento é recomendada para os corredores com uma condição auto-imune chamada doença celíaca, a qual faz com que seu corpo responda ao glúten danificando seu próprio intestino delgado. Eventualmente, isso interfere na maneira como você absorve nutrientes e pode causar problemas nos ossos, nervos e hormônios.

Outros corredores podem ter o que é chamado de intolerância ao glúten ou sensibilidade ao glúten. Embora ele não faça com que seus corpos iniciem um ataque total, comê-lo pode desencadear sintomas semelhantes, incluindo fadiga, dores de cabeça, dores nas articulações e distúrbios digestivos como inchaço, diarréia e náusea.

Sabia que correr pode agravar sensibilidades existentes ao glúten? A desidratação, as altas temperaturas e o fluxo de sangue do seu sistema digestivo para os músculos trabalhados criam um ambiente inflamatório temporário em seu intestino. E aí, como essa é uma proteína grande, alguns atletas que não são intolerantes ao nutriente, podem não se sentir bem durante uma corrida longa ou um ciclo de treinamento pesado.

Então, qual é afinal a desvantagem de se fazer uma dieta gluten-free? Bom, pra começar ele não é um nutriente vital, mas a maioria dos nutricionistas recomenda não cortar um grupo de alimentos quando não é clinicamente necessário. Os corredores que fazem isso arriscam-se a complicações extras e contas de supermercado mais altas, já que versões sem o nutriente de alimentos similares costumam custar mais. Esses corredores também podem acabar desenvolvendo uma atitude medrosa em relação à comida ou ficar com pouca energia em geral, ambos podem piorar o desconforto gastrointestinal, além de afetar o humor e a saúde. Há também algumas vitaminas e minerais que aqueles que evitam produtos que contêm glúten precisam ficar de olho, incluindo vitaminas B, ferro e fibras.

Em resumo, com um pouco de planejamento, atletas com doença celíaca ou intolerância ao glúten podem contorná-la. Fontes de carboidratos free incluem batatas, milho, nabo e outros vegetais de raiz, como feijão e ervilhas. A aveia não tem, mas muitas vezes é contaminada durante o processamento, por isso, procure as que são rotuladas sem glúten. Outros grãos que podem ser ingeridos sem medo são arroz, amaranto, painço e quinoa.

Consulte seu nutricionista e não caia em dietas da moda antes de saber o que de fato seu corpo precisa. #BrasilRun

Fonte: Runners World

Curtiu esse texto? Então também leia este aqui: https://goo.gl/gSsnrc

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar o post

Newsletter

Publicidade