Chama o Doutor

Frequência cardíaca é matéria obrigatória para o corredor

Frequência Cardíaca

O que realmente altera a sua frequência cardíaca? Correr com certeza é um dos fatores que fazem nosso coração bater muito mais rápido, mas você sabe quais outras atividades e hábitos causam essa alteração e qual é o valor médio para um adulto? Saber essas informações é muito importante para ficar em dia com a sua saúde e entender se o seu batuque anda na frequência certa.

Em primeiro lugar, é bom saber que a frequência cardíaca é um indicador que aponta a quantidade de vezes que o coração bate por minuto (o famoso bpm que aparece no seu gadget). Na fase adulta, o valor médio varia entre 60 e 100 bpm. Porém, existem diversos fatores que podem modificar o seu número, como a idade, a prática ou não de exercícios físicos ou uma doença que afeta o coração.

Mas a regra geral é que quanto mais o coração precisa trabalhar para bombear o sangue para o corpo, maior será o esforço e assim, a frequência cardíaca tende a aumentar. Mas nem sempre o aumento desses batimentos é causado por uma situação preocupante. O pulso se torna mais intenso e acelerado até mesmo em momentos comuns da nossa rotina e até quando você está em outra cidade para treinar ou participar de uma prova.

Altitude: com o aumento da altitude, a pressão barométrica diminui, assim como a pressão parcial do oxigênio. Isso quer dizer que sua frequência cardíaca será maior para obter mais oxigênio para suas células. Por isso que corridas de montanha podem ser mais exaustivas, mesmo se o seu esforço for igual ao de um treino do dia a dia. E caso vá participar de uma prova em um ambiente mais alto do que onde mora, vá alguns dias antes para o locar e faça seu corpo ir se acostumando com a nova altitude.

Sexo: os batimentos aumentam mesmo durante essa atividade tão comum e prazerosa. E no caso das mulheres, o coração parece trabalhar ainda mais, já que o tamanho do órgão é menor por conta de sua estrutura. No caso do sistema cardiorrespiratório, as cavidades cardíacas são menores, o que resulta em menor quantidade de sangue e menor volume sistólico (quantidade de sangue que o coração libera toda vez que se contrai). Isso significa que o coração feminino trabalha mais, resultando em um aumento da frequência cardíaca.

Consumo de álcool, café ou bebidas energéticas: A ingestão de grandes quantidades de álcool, café ou bebidas energéticas aumenta substancialmente o ritmo cardíaco devido aos seus componentes como taurina e cafeína.

Stresse: O stresse faz disparar o ritmo cardíaco, podendo uma pessoa nervosa apresentar 90 a 100 batimentos cardíacos por minuto mesmo estando parada. Por isso, respire!

Doenças cardíacas: As arritmias podem originar uma oscilação no ritmo cardíaco, que tanto pode ser lento, irregular, acelerado ou com sensação de pausa entre os batimentos do coração. Algumas doenças do coração, como a insuficiência cardíaca, e outras doenças não cardíacas, como os problemas da tiroide, a anemia e as doenças pulmonares crônicas também podem fazer oscilar os ritmos cardíacos. Por isso é sempre bom fazer um check up anual com seu médico e ter certeza de que seu coração está saudável.

É de extrema importância dar atenção à frequência cardíaca, uma vez que este indicador é um parâmetro fundamental para conhecer o estado de saúde que indivíduo se encontra. Caso perceba que ele está acima do normal constantemente, consulte o seu médico ou um especialista.

Fontes: Sportlife, Rota Saúde

Leia aqui também sobre o seu coração e a corrida e como um influencia no outro!

Sobre o Autor

Equipe Brasil Run

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar o post

Newsletter

Publicidade