Chama o Doutor

Eletroterapia. Entenda como funciona e seus benefícios.

Conhece a Eletroterapia? Saiba que ela não se baseia na simples aplicação de eletrodos sobre a pele ou em imputar choques no paciente. É fundamental reconhecer aspectos técnicos e biofísicos que caracterizam o uso sem riscos desta técnica. O surgimento de conceitos atuais, e suas filosofias de custo beneficio trouxeram paradigmas difíceis de serem quebrados.

Trata-se de uma corrente de média frequência mais conhecida como corrente russa. Vale ressaltar que cada gerador de corrente: TENS, FES, Galvânica possui específicações físicas muito diferentes e que apesar de estar conectado a eletricidade apresenta indicações de tratamento específicas e completamente distintas.

O esporte e atividade física passam por um processo de atualizações científicas na última década. A cada competição se faz necessária a presença de especialistas com o objetivo do atleta se tornar mais competitivo, mas com o principal foco de manter a sua integridade física. Durante a temporada é possível prevenir e minimizar lesões musculares simples e também reduzir o tempo das lesões mais complexas. Esta situação de melhorias é possível graça ao uso da Eletroterapia, que é considerada um novo marco empreendido no esporte e na atividade física praticada no dia a dia , promovendo um grande salto de suma importância referente a saúde do atleta.

Para uma garantia de aplicação de qualidade da eletroterapia, devem ser levados em consideração os parâmetros geradores como exatidão e precisão. Onde através da estimulação da corrente elétrica no organismo fazemos uma alteração com uma resposta metabólica do mesmo.

A corrente Russa ou Burst tem um comprimento de onda oscilatório de 10 milisegundos com uma resposta de trabalho de 2,5 Hz, com um modo sincronizado para Eletroestimulação ou Eletroterapia de fortalecimento de cada 2 milisegundos – 1Hz.

Depois de muitas pesquisas realizadas para conhecer o efeito das correntes elétricas nas fibras musculares, principalmente para o aumento de força em curto prazo, tem se notado respostas bem positivas. A melhora da estabilidade articular durante a fase de imobilização de uma lesão e mudança no tecido muscular também foram observadas nestes estudos apresentados. #BrasilRun

Fonte: Parceiro Brasil Run – Doutor Fabiano Gil ( CREFITO 37172-F) – Reabilitação Músculo Esquelética a Alterações do Padrão e Desarmonias Posturais, Treinamento Físico com Fisiologia do Exercício na Clínica FG Fisioterapia. (insta @fisiofabianogil)

Gostou desse texto? Então também vai curtir este aqui: https://goo.gl/hVSLK6

Sobre o Autor

Equipe Brasil Run

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar o post

Newsletter

Publicidade