Artigos

De sedentário à Ultra

Sérgio em uma das provas de Trail Run das quais já participou

Lembrando destes quase 5 anos, que resolvi sair da minha vida sedentária para algo mais ativo, não tinha ideia de onde chegaria e o que isso viraria. 

Não passava, nem de longe, pela cabeça e pelos planos, tornar-me um atleta, ter performance, competir, nada disso. A meta era “emagrecer e ser saudável para viver mais”. 

Tudo foi acontecendo muito rápido e sem noções do que estava se transformando. Quando me vi, já estava inscrito numa prova de 5 kms (quase morri), logo após 10 kms tornaram-se “treino”, logo estava numa meia maratona e quando não, os planos já estavam nos famosos 42 kms. 

Embora toda determinação nos treinos, não posso negar a facilidade de genética (embora nenhum corredor goste que fale sobre isto), o que ajudou a sagrar um resultado de 3:00 na estréia, e isto com subidas de respeito, há saber, Curitiba!

Mas e quando 42 quilômetros ficam curtos? E quando seu corpo pede mais e mais e lhe implora por mais endorfina e momentos de aventura e alegria?

Fui para minha primeira prova de 56 kms e com desníveis impactantes para o corpo. Subidas que faziam você lembrar a pequenez do corpo humano e como era sofrível, mas doce estar alí. 

Ha partir daí as mudanças no corpo foram notórias. O que antes parecia fácil, agora o corpo dava sinais claros que tinha algo novo. Que não seria mais tão simples assim.

Colocar o corpo à prova por tanto tempo e em sacrifício tão exigente, pode ter respostas de todas as maneiras, das mais imprevisíveis. 

Demorou alguns meses para assimilar o que estava acontecendo. Tudo parecia em “slow motion”. As provas em vista mudaram e tudo tinha de se ajustar. A alimentação, os pontos de dores, a forma de recuperação… 

É incrível no que você se transforma. Como a “máquina humana” se ajusta ao que tem de ser feito e o que ela pede então em troca para cumprir a função.

Bem… Foram exatos 1 ano desta aventura e as mudanças, a constante metamorfose ainda está em andamento.

Se acho que está valendo a pena???

Mas é claro!!! 

É indescritível a sensação de romper barreiras, receber estas doses de endorfinas e de realizar o que muitos consideram “impossível”. 

Até a próxima corredores. 

Nota: Em 2018 Sérgio correu as duas edições do desafio 6 horas de Piracicaba, no qual foi vice-campeão na primeira e campeão na segunda edição. Além disso participou de 15 provas no ano, totalizando 600 kms em competições, dos quais 11 vezes subiu ao pódio. 

Autor: Sérgio é empresário, ultramaratonista e atleta de trailrunning. Escreve para blogs e revistas, além de palestras motivacionais, falando de suas experiências vividas.

Instagram: @garciasergiointegra

Leia aqui outros artigos inspiradores de nossos parceiros!


Newsletter

Publicidade